Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa
2021: um ano de enorme crescimento para o setor dos produtos do mar alternativos

Proteínas alternativas estão a crescer no setor do pescado

Redação Interempresas/iALIMENTAR02/09/2022

O Good Food Institute (GFI) é uma organização sem fins lucrativos que trabalha internacionalmente para acelerar a inovação proteica alternativa. Com o objetivo de trazer proteínas alternativas de vanguarda, a GFI lança um estudo de mercado anual que apresenta as figuras mais importantes no setor do peixe e da carne. De acordo com o estudo de 2021, existem já mais de 120 empresas em todo o mundo que desenvolvem proteínas alternativas no setor dos produtos do mar.

O desenvolvimento e comercialização de proteínas alternativas oferece uma abordagem promissora para aliviar a pressão sobre os sistemas de pesca e aquacultura, ao mesmo tempo que ajuda a satisfazer a procura global desta importante fonte alimentar. O crescente interesse dos consumidores por alimentos à base de plantas, juntamente com outros fatores como a elevada incidência de alergias a produtos do mar ou o preço elevado de muitos produtos do mar - especialmente os consumidos crus e, portanto, com riscos particulares para o consumidor - traduz-se num número considerável de consumidores potenciais altamente motivados e numa nova oportunidade de mercado.
foto

Salmão desenvolvido pela Wildtype.

Conscientes disto, alguns produtores de proteínas alternativas de peixe já estão a tirar partido de tecnologias baseadas em plantas, fermentação e plataformas de cultivo. Assim, 2021 foi um ano de enorme crescimento para o setor dos produtos do mar alternativos. Este setor jovem ganhou ímpeto com a chegada de novas empresas, produtos e investimentos, e as vendas cresceram rápida e firmemente em países chave como os Estados Unidos.
As vendas nos EUA aumentaram de 12,1 milhões em 2020 para 13,9 milhões em 2021. Isto representa um aumento de 14% no último ano e 42% nos últimos dois anos, incluindo o crescimento tanto em proteínas alternativas de peixe como de marisco. Embora este crescimento seja encorajador, este setor continua a ser uma pequena parte da categoria global alternativa de carne e peixe, mas também representa uma oportunidade de mercado interessante.

Investimentos

Em 2021, o panorama empresarial global acolheu pelo menos 21 novas empresas de produtos do mar alternativos, elevando o total para mais de 120 empresas que desenvolvem estes produtos, quer sejam de origem vegetal, derivados de fermentação ou cultivados. Até agora, a base vegetal dominou a indústria, mas em 2021, nove das 21 novas empresas estão concentradas no desenvolvimento do peixe cultivado.
foto
Empresas de produtos de mar alternativas por região (de acordo com a sua sede e local de produção).
No total, as empresas de proteínas alternativas angariaram 175 milhões de dólares em 2021, quase o dobro do montante em 2020. Este número foi alcançado através de 15 acordos de desenvolvimento, elevando os investimentos totais para 313 milhões de dólares entre 2013 e 2021. O montante angariado por estas empresas ascende agora a 115 milhões de dólares, o que representou 66% dos investimentos em produtos do mar alternativos em 2021.
De 2013 a 2021, os investimentos em empresas de aquacultura representaram 63% do total dos investimentos no setor das proteínas de peixe alternativas. O maior montante angariado foi alcançado pela BlueNalu, com 60 milhões de dólares, o que permitiu à empresa lançar a sua primeira fábrica piloto (12.000 metros quadrados) de peixes de viveiro.
2021 acolheu 18 novas empresas de marisco alternativo e assistiu aos primeiros lançamentos de empresas na Áustria, Letónia, Tailândia, Estónia e África do Sul. Além disso, este setor viu também novas atividades de marisco convencional graças a novos investimentos e lançamentos de grandes empresas como a Thai Union, Karavela, Long John John Silver's ou Nestlé.

Oportunidades

2021, como 2020, foi um ano de investimentos recorde, de desenvolvimento empresarial acelerado e de crescimento sustentado nas vendas de produtos alternativos do mar. Este crescimento mostra que cada vez mais agentes da indústria estão a tirar partido das oportunidades oferecidas pelos produtos alternativos. Contudo, em comparação com a indústria mundial de produtos do mar no valor de 401 mil milhões de dólares, os produtos alternativos continuam a ser uma categoria incipiente.
Apesar disto, com uma indústria pequena mas em crescimento, existem oportunidades significativas de inovação e desenvolvimento de novos produtos, tais como aumentar a variedade de espécies utilizadas, estudar a textura certa, posicionar produtos refrigerados em lojas ou criar e expandir ingredientes como o ómega 3 sem necessidade de abater animais.
foto
Expandir a indústria e atingir mais consumidores ainda requer mais investimento, melhores tecnologias de produção, otimização dos fluxos e expansão da capacidade de produção. A aceleração do desenvolvimento, comercialização e disponibilidade generalizada de alimentos alternativos pode ajudar a estabelecer um futuro alimentar com uma gestão mais responsável da terra e do mar, alimentando ao mesmo tempo milhares de milhões de pessoas e preservando os seus meios de subsistência.
Em suma, Claire Bomkamp, cientista sénior do The Good Food Institute, afirma: “finalmente atingimos uma massa crítica de investigadores académicos centrados em diferentes aspetos do peixe cultivado, desde linhas celulares a meios de cultura e matrizes. Os peixes cultivados têm uma grande área para escalar, mas as oportunidades de colaboração cruzada de ideias dentro desta comunidade crescente representam o ímpeto de que precisaremos para abraçar este desafio. A comunidade está hoje a lançar as bases para avanços inovadores dentro de alguns anos”.
LFA

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal - Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

Responsable: Interempresas Media, S.L.U. Finalidades: Assinatura da(s) nossa(s) newsletter(s). Gerenciamento de contas de usuários. Envio de e-mails relacionados a ele ou relacionados a interesses semelhantes ou associados.Conservação: durante o relacionamento com você, ou enquanto for necessário para realizar os propósitos especificados. Atribuição: Os dados podem ser transferidos para outras empresas do grupo por motivos de gestão interna. Derechos: Acceso, rectificación, oposición, supresión, portabilidad, limitación del tratatamiento y decisiones automatizadas: entre em contato com nosso DPO. Si considera que el tratamiento no se ajusta a la normativa vigente, puede presentar reclamación ante la AEPD. Mais informação: Política de Proteção de Dados

www.ialimentar.pt

iAlimentar - Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Estatuto Editorial