Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa
Evento decorre nos dias 16 e 17 de novembro

Expo Fish Portugal: 21 mercados importadores 'atacam' pescado nacional

iAlimentar03/11/2021
Exportações recuperaram para 463 milhões de euros (+13% face a 2020) e o valor do pescado fresco transacionado em lota cresce 20% no primeiro semestre.
foto
Se habitualmente, os maiores clientes externos são Espanha, França e Itália, que representam mais de 2/3 das exportações, a Expo Fish Portugal espera contribuir para o alargamento deste leque internacional aos cinco continentes, alavancando a internacionalização do setor da pesca e da comercialização do pescado.

A Docapesca anunciou a presença na Expo Fish Portugal de importadores de pescado oriundos de 21 mercados internacionais, desde Espanha à Austrália, passando pela Letónia, Canadá, Japão, Singapura, ou Tailândia e mais de 80 expositores, numa estratégia de alavancagem e dinamização do setor.

Nesta feira inteiramente virtual, espera-se aumentar o consumo dos principais mercados, e em simultâneo, criar relações sustentadas e duradouras com novos destinos menos tradicionais, que veem no pescado português uma fonte de produção singular de alta qualidade.
Organizada pela Docapesca e com o patrocínio institucional do Ministério do Mar, pretende-se centralizar a oferta de pescado nacional num evento virtual, que agrega comércio, investigação e inovação, e potenciar a dinâmica do setor, onde as empresas vão poder relacionar-se com uma dinâmica maior, mais ágil e mais integradora, com os mercados internacionais interessados.
A pesca, aquacultura e transformação do pescado que têm um Valor Acrescentado Bruto (VAB) de cerca de 1.7 mil milhões de euros e empregam mais de 60.000 pessoas, esperam manter em 2022 a tendência de crescimento da última década (face a 2010, o VAB cresceu 41%).

De sublinhar que, apesar da resiliência demonstrada pelo setor do pescado, Portugal exportou em 2020 menos 15,5% (917,6 M€) do que em 2019, consequência da pandemia de Covid-19, com o mercado europeu a ter um maior peso neste resultado (16,9%) do que o resto do mundo (10,4%). A única exceção são as conservas portuguesas que aumentaram as exportações em 13,8%, e foram o principal grupo de produtos exportados por Portugal em 2020, segundo o INE[1].

No 1º semestre de 2021, registou-se um crescimento no valor das exportações de 13% face ao período homólogo de 2020. No caso do pescado fresco transacionado em lota, o aumento do valor foi de 20% face a 2020 e de 8% face a 2019, superando assim os valores pré-pandemia.
A Expo Fish Portugal, que surge com um formato modernizado e apoiado na evolução digital e virtual, para dar resposta à nova realidade contactless, vai ser composta por um espaço expositivo virtual, por uma plataforma de encontros de negócios B2B, e uma conferência em formato híbrido, que irá decorrer na Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar de Peniche.
Num evento único, vai conseguir centralizar a oferta de pescado nacional (fresco e transformado); agregar comércio, investigação e formação no âmbito do setor das pescas, dirigido a profissionais nacionais e estrangeiros; contribuir para a evolução digital dos produtos da pesca; facilitar o acesso aos mercados externos; e aumentar o leque de clientes e investidores potenciais.

[1] Instituto Nacional de Estatística - Estatísticas da Pesca: 2020. Lisboa: INE, 2021. 

Exposalão - Centro de Exposições, S.A. : expo AlimentaLFA

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal - Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

Responsable: Interempresas Media, S.L.U. Finalidades: Suscripción a nuestra(s) newsletter(s). Gestión de cuenta de usuario. Envío de emails relacionados con la misma o relativos a intereses similares o asociados.Conservación: mientras dure la relación con Ud., o mientras sea necesario para llevar a cabo las finalidades especificadasCesión: Los datos pueden cederse a otras empresas del grupo por motivos de gestión interna.Derechos: Acceso, rectificación, oposición, supresión, portabilidad, limitación del tratatamiento y decisiones automatizadas: contacte con nuestro DPD. Si considera que el tratamiento no se ajusta a la normativa vigente, puede presentar reclamación ante la AEPD. Más información: Política de Protección de Datos

www.ialimentar.pt

iAlimentar - Informação profissional para a indústria alimentar portuguesa

Estatuto Editorial